Minha

Biografia

Lucas Aribé, 32 anos, é graduado em Jornalismo, pós-graduado em Comunicação e Novas Tecnologias, técnico em radialismo, educador, músico e cantor.

Desenvolveu suas atividades profissionais de jornalista na Assessoria de Comunicação da Universidade Tiradentes e de professor no Senac e atualmente é Vereador de Aracaju pelo PSB.

Em 2010, foi destaque da edição no 1 - Ano 1 da Revista Senac - Casos de Sucesso, oportunidade em que é ressaltada sua condição de ex-aluno e agora instrutor da Oficina Inclusiva em Leitor de Tela, que teve como objetivo capacitar os instrutores de informática do Senac para melhor atendimento e facilitação da acessibilidade das pessoas com deficiência visual nas ações educacionais permitindo a aquisição dos novos conhecimentos da área.

Criador e editor do jornal institucional "Adevise Notícias", o primeiro produzido em áudio em Sergipe.

Empreendedor social, fundou em janeiro de 2013 o Instituto Lucas e Mariana Aribé de Acessibilidade para a Inclusão Social de Pessoas com Deficiência – ILUMINAR, que apoia as diversas manifestações da cidadania, promove a acessibilidade e o Desenho Universal para a inclusão social das pessoas com deficiência e fomenta projetos sociais que estimulem a participação ativa, livre e consciente de cada uma delas na construção coletiva do social, utilizando a educação, a arte, o esporte e a cultura como ferramentas para a diminuição das diferenças e como alicerces para a sustentabilidade.

Lucas Aribé atua no rádio sergipano desde 2007, quando se tornou o primeiro comentarista esportivo cego do Estado. Seu trabalho na Rádio Educadora de Frei Paulo foi destaque em reportagem veiculada no programa Esporte Espetacular, da Rede Globo de Comunicação, em dezembro de 2010. Em abril de 2012, estreou na Rádio Aperipê FM como apresentador do Programa Sem Barreiras, espaço aberto para discussões e reflexões sobre acessibilidade. No campo da educação inclusiva, lecionou informática na Associação dos Deficientes Visuais de Sergipe (Adevise) durante seis anos, onde também foi assessor de comunicação e de esportes. Também foi assessor geral de Programas e Projetos da Divisão de Educação Especial (Secretaria de Estado da Educação), onde ensinou informática e sistema Braille a professores e alunos da rede pública. É facilitador de acessibilidade em espaços locais e nacionais, e representa Sergipe como instrutor e palestrante em diversos eventos, a exemplo do 7o Seminário Nacional de Bibliotecas Braille, realizado em novembro de 2011, na Unicamp (SP). É, ainda, um dos autores do livro Educação Inclusiva e Deficiência Visual, primeira obra sergipana lançada, simultaneamente, em tinta e em modo digital acessível.

A música também é um instrumento de inclusão e solidariedade para Lucas Aribé. Como voluntário, ele se apresenta em diversos eventos, a exemplo do MC Dia Feliz, Ação Global, quermesses em igrejas, concertos natalinos, além de aberturas e encerramentos de seminários, congressos e outros acontecimentos alusivos a acessibilidade, inclusão social e cidadania.

Plenamente envolvido nas buscas e conquistas de uma sociedade justa e igualitária, participa ativamente, desde criança, do cotidiano da cidade, superando limites, enfrentando desafios, conquistando espaço e transformando muitos sonhos em realidade. Sua história de determinação, coragem e superação tem feito com que muitas pessoas com deficiência acreditem mais em si mesmas e nas suas potencialidades e partam em busca do saber e da qualificação, para enfrentar com competência o mercado de trabalho, eliminando assim o estigma da incapacidade que há anos as identifica.

Precursor da inclusão social de estudantes cegos no ensino regular em Aracaju e de músicos sergipanos nos Festivais Nacionais e Internacionais de Artes Sem Barreiras, LUCAS ARIBÉ atua com garra na disseminação das potencialidades das pessoas com deficiência e das políticas públicas a elas destinadas, além de promover a divulgação incansável (através de panfletagem nas ruas, escolas, clínicas, shoppings e outros espaços) de orientações, atitudes e procedimentos esclarecedores a respeito da realidade das pessoas com deficiência visual em salas de aula, local de trabalho, espaços de lazer, comércio, médicos e outros, como forma de facilitar a relação e a convivência dessas pessoas com a sociedade como um todo.

Ele sempre se destacou na reivindicação da garantia de direitos perante autoridades constituídas, podendo destacar a luta pelo acesso e permanência de pessoas cegas nos ensinos regular e superior e nos cursos técnicos oferecidos à sociedade, na luta pela publicação de livros em Braille ou em meio digital e tantas outras, procurando dessa forma contribuir para a eliminação ou neutralização das barreiras, principalmente atitudinais, que insistem em permear o dia a dia das pessoas com deficiência.

Em atuação na Câmara de Vereadores de Aracaju desde janeiro, protocolou projetos de leis que visam a acessibilidade na Capital, como o PL da Acessibilidade que virou a lei 4.444 e trará mudanças na cidade para melhorar a qualidade de vida das pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, mas que, no fim das contas, beneficiará a toda população. Outro PL importante é o do Táxi Adaptado, que regulamentava e autorizava a implantação do serviço de táxi adaptado aos cadeirantes.

Além disso, Aribé tem projetos e ações no âmbito da proteção ao consumidor, bandeira que também defende no parlamento municipal . Seus ideais de construção de uma sociedade para todos dão ênfase à liberdade das pessoas com deficiência de fazerem suas próprias escolhas, participarem ativamente das decisões de programas e políticas públicas que a elas se refiram, enfim, serem agentes de sua própria história.

Para ele, a sociedade precisa estar preparada para lidar com a diversidade humana, oportunizando-a na concretização dos seus direitos com soluções simples e concretas para que todos possam ir e vir.