Lucas Aribé - “Não é favor. É Lei”, diz Lucas Aribé ao cobrar reajuste do piso do magistério

Notícias

“Não é favor. É Lei”, diz Lucas Aribé ao cobrar reajuste do piso do magistério

Data de Publicação: 15 de Maio de 2019

#PraTodoMundoVer Lucas discursa na tribuna da Câmara

#PraTodoMundoVer Lucas discursa na tribuna da Câmara

O vereador Lucas Aribé (PSB) cobrou a atualização do piso do magistério aracajuano. Na tribuna da Câmara Municipal de Aracaju (CMA), durante o Grande Expediente da sessão desta quarta-feira (15), o parlamentar lastimou a postura do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) em relação ao funcionalismo público.

Com aumento fixado em 4,17% para este ano, o piso do magistério está em R$ 2.557,74 e segue o padrão dos anos anteriores, conforme o artigo 5º da Lei nº 11.738/2008, que estabelece a revisão anual do piso nacional do magistério sempre a partir de janeiro.

“Não há justificativa para que a lei não seja cumprida. A gente reconhece os débitos herdados pela gestão, mas o município pode se organizar melhor para garantir, ao menos, o cumprimento da lei. O piso não é favor, os professores não estão pedindo esmola”, afirmou Lucas Aribé ao reivindicar o envio do Projeto de Lei para readequar o vencimento básico da categoria.

Lucas lembrou que assim como os professores, as demais categorias de servidores municipais estão sem a recomposição salarial desde o início da atual gestão. Ele classificou o tratamento do Executivo com os trabalhadores como humilhante. “São três anos de desrespeito. No ano que vem, como teremos eleição, os reajustes chegam, enquanto isso, o que a gente ouve é que não tem dinheiro e as perdas, no caso dos professores, já chegam a 12,51%”, completou o vereador.