Notícias

UFS cria Observatório de Acessibilidade

Data de Publicação: 25 de Setembro de 2018

#PraCegoVer - Lucas, professores e alunos da UFS reunidos no Departamento de Letras Libras

#PraCegoVer - Lucas, professores e alunos da UFS reunidos no Departamento de Letras Libras

 A Universidade Federal de Sergipe – UFS – chegou ao cinquentenário e continua fazendo história. Na última quinta-feira, 20, professores e estudantes se reuniram no Departamento de Letras Libras para fundar o Observatório de Acessibilidade.  A ideia nasceu a partir de um convite feito pelo vereador Lucas Aribé, para uma ação dentro da programação da 6ª Semana Aracaju Acessível, mas tomou outras proporções. Virou um observatório permanente, iniciativa inédita entre as instituições de ensino do Estado.

“Queremos que todos os profissionais e alunos possam levantar as informações sobre barreiras da acessibilidade existentes nos campi e, juntos, encontrar soluções, inclusive, para que os estudantes com deficiência possam concluir o seu curso no tempo certo e tendo todos os recursos disponibilizados, de acordo com o princípio da equidade. Abriremos esse caminho para que a universidade se mobilize”, diz a professora Margarida Teles, integrante do grupo de pesquisa sobre educação inclusiva.

#PraCegoVer - Lucas ao lado das professoras Margarida Teles e Ana Leal

#PraCegoVer - Lucas ao lado das professoras Margarida Teles e Ana Leal

 O projeto do Observatório de Acessibilidade da UFS reúne docentes e discentes de diversos cursos. Todo o projeto de levantamento das necessidades nos campi da instituição será conduzido por alunos do Núcleo de Empreendedorismo, por meio do design thinking, conjunto de métodos e processos que trabalha a empatia para abordar problemas e propor soluções. As pessoas com deficiência terão participação efetiva em todo o processo.

#PraCegoVer - Alunos de Empreendedorismo apresentam projeto

#PraCegoVer - Alunos de Empreendedorismo apresentam projeto

 A primeira caminhada do observatório acontecerá assim que acabar o período de férias da universidade. “O objetivo é promover ações de inclusão no ensino superior. A implantação desta ideia vem num momento muito preciso, pois marca a passagem dos 50 anos da UFS, abrindo espaço para as discussões sobre a acessibilidade”, comenta a professora Ana Leal, coordenadora do Centro de Educação e Ciências Humanas – CECH.