Lucas Aribé - Lucas Aribé denuncia descaso da prefeitura com moradores do Mosqueiro

Notícias

Lucas Aribé denuncia descaso da prefeitura com moradores do Mosqueiro

Data de Publicação: 10 de Janeiro de 2019

O vereador Lucas Aribé está de pé com um morador e o presidente da Associação dos Moradores do Mosqueiro

O vereador Lucas Aribé está de pé com um morador e o presidente da Associação dos Moradores do Mosqueiro

Falta de saneamento básico; esgotos a céu aberto; ruas sem calçamento; falta de pontos de ônibus para a população. Essa é a triste realidade dos moradores do Mosqueiro, situado na Zona de Expansão de Aracaju. O vereador Lucas Aribé (PSB) visitou a Travessa Miguel Arcanjo dos Santos, localizada no loteamento Escurial, a pedido da comunidade, e percebeu na prática o que os moradores enfrentam diariamente devido às péssimas condições de infraestrutura que ainda existem na localidade.
 “Apesar de ser uma região com um dos principais pontos turísticos de Aracaju, a Orla Pôr do Sol, o Mosqueiro apresenta uma realidade bem diferente do que o poder público divulga para os turistas e para os aracajuanos como sendo uma cidade da qualidade de vida, quando na verdade isso não existe”, destacou Lucas.
A falta de saneamento básico tem gerado diversos problemas para a população, a exemplo de alagamentos, contaminação e proliferação de mosquitos. Diante disso, os moradores pedem maior atenção por parte da Prefeitura.
“Eu, como pessoa com deficiência visual e morador do bairro há dez anos, desejo não conviver mais com o mau cheiro do esgoto a céu aberto e com os males causados por ele, como a transmissão de doenças. Quem sabe um dia poderei circular tranquilamente por onde moro sem ter muitos obstáculos. No verão, o acúmulo de poeira é muito grande e no inverno, a lama toma conta das ruas e as casas ficam alagadas”, pontuou Leiz de Jesus.
O presidente da Associação dos Moradores do Mosqueiro, Genivaldo da Conceição, pede urgência para que a PMA realize obras de saneamento básico e calçamento na região para o bem da população. “O que nós pedimos não é favor, é o que temos direito, porque o Mosqueiro está abandonado. Aqui não temos uma praça, um campo de futebol, não tem área de lazer, não tem pontos de ônibus e a nossa comunidade é carente de tudo”, destacou Genivaldo.